19
julho
2012
21:17

Delegado diz que houve falha de PMs que mataram empresário em SP

Ford Fiesta do publicitário Ricardo Prudente de Aquino, 41, que teve o para-brisa marcado pelos disparos dos policiais

O delegado seccional Dejair Rodrigues disse na tarde desta quinta-feira que identificou falha na atuação dos policiais militares que atiraram e mataram um empresário que supostamente fugiu de uma abordagem na zona oeste de São Paulo. 

Os PMs Luis Gustavo Teixeira Garcia, 28, Adriano Costa da Silva, 26, e Robson Tadeu do Nascimento Paulino, 30, foram presos em flagrante por homicídio doloso pela morte do empresário e publicitário Ricardo Prudente de Aquino, 39, na noite de ontem (18).

“Houve uma falha dos policiais, e, em função desta falha, entendemos que eles deveriam ser presos. Infelizmente a vítima não parou diante de uma ordem dos policiais, mas infelizmente também essa vítima não reagiu contra eles”, disse o delegado.

Na noite de ontem, Aquino voltava em seu Ford Fiesta preto da residência de um amigo, a caminho de casa, quando, segundo os policiais, se recusou a parar em uma abordagem próxima à rua Natingui, na Vila Madalena.

A perseguição durou cerca de dez minutos e terminou na avenida das Corujas, no Sumarezinho, em um trecho com pouca iluminação e muitas árvores. Os PMs disseram que o carro do empresário atingiu um carro da Força Tática que também participava do cerco.

Em depoimento à Polícia Civil, os policiais disseram que, ao abordarem o empresário, eles perceberam um objeto preto nas mãos dele, que foi confundido com uma arma.

Eles atiraram ao menos cinco vezes, e o empresário foi atingido duas vezes no lado esquerdo da cabeça. Segundo análise preliminar da perícia, os tiros foram disparados a curta distância.

Ele foi socorrido e encaminhado para o Hospital das Clínicas, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Após os disparos, os PMs perceberam que a suposta arma era o celular da vítima.

Os três PMs foram presos e encaminhados para o 14º DP (Pinheiros), onde caso foi registrado.

Segundo o delegado Rodrigues, os PMs foram presos porque a vítima não reagiu contra eles, embora tenha tentado escapar da abordagem. Após serem ouvidos eles foram transferidos para o Presídio Romão Gomes, da PM, na zona norte de São Paulo.

Dentro do carro, os policiais disseram ter encontrado, em um plástico, aproximadamente 50 g de maconha.

Na manhã desta quinta-feira, um tenente da Polícia Militar foi até a casa do publicitário e pediu desculpas à família dele. (GIBA BERGAMIM JR.)

Recomendo estes outros conteúdos:

  1. Mulher que denunciou execução se diz traída pela Corregedoria, diz jornal
  2. Final de semana de grandes eventos terá quase 3 mil PMs
  3. Segurança nas eleições será garantida por 58 mil PMs
  4. Empresário do Morumbi reúne comunidade e voluntários do Mãos que Ajudam para pintura da Base Militar ao lado do estádio, no sábado, 23
  5. Operação Natal Seguro: 3,2 mil PMs reforçam a segurança