28
março
2011
20:35

São Paulo perde ciclovia, despreza bicicletários e infla números de obras cicloviárias

Chico Macena
vereador de São Paulo/SP pelo PT
www.chicomacena.com.br

Em uma cidade em que 70% das 147 mil viagens diárias de bicicleta são utilizadas em deslocamentos para o trabalho e conta com apenas 21,8 km de ciclovias efetivamente apropriadas para o deslocamento urbano, iniciativas a favor da bicicleta deveria ser protegidas e preservadas, mas mesmo neste cenário que aponta extrema necessidade de investimentos para este modal, existem na cidade dois bicicletários totalmente construídos e prontos para servir ao público, mas fechados, e uma ciclovia removida para “evitar” acidentes com veículos.

Se não bastasse os bicicletários de Parelheiros e São Mateus ainda com suas portas trancadas enquanto dezenas de bicicletas se amontoam amarradas em postes próximos a suas instalações, agora temos que olhar incrédulos a remoção de 1800 metros de uma ciclovia em Parelheiros que servia como ponte segura para centenas de trabalhadores que fazem diariamente da bicicleta seu meio de locomoção pela Estrada da Colônia.

Esta ciclovia foi retirada por solicitação do Ministério Público devido a doze acidentes envolvendo apenas veículos motorizados e em nenhum caso envolveu ciclistas. Quem mora ou conhece a região da Estrada da Colônia que liga Parelheiros ao bairro de Vargem Grande sabe que é comum os veículos abusarem da velocidade e se houve acidentes envolvendo carros de passeio e motociclistas com colisões e capotamentos, teria que ser revisto a sinalização local, maior fiscalização e o limite de  velocidade da via, e não culpar e sacrificar a ciclovia pelos ocorridos, atribuindo a causa da maioria dos acidentes a inocentes e reluzentes “tartarugas” que segregavam e mantinham o ciclista seguro e longe do motoristas, estes que jamais respeitam a distancia lateral de 1,5m e muito menos a redução de velocidade ao ultrapassar um trabalhador montado em sua bicicleta.

Quem mais precisa de suporte e proteção sente com uma nudez o desamparo e a exposição à violência do transito.

Além de desamparar a periferia, a prefeitura agora mostra números no mínimo equivocados nos investimentos cicloviários para a cidade. Acompanhando o plano de metas da gestão Kassab, mais precisamente a meta 107 que cria “100 km de ciclovias na cidade”, encontro como obras finalizadas e já entregues 2,5 km de ciclovia em Pinheiros, 3 km de ciclovia no Socorro e 2,5 km de ciclovia em Vila Mariana, mas em visita a estes bairros não encontrei nada que lembre estes investimentos. O que posso pensar a respeito?

Não é a primeira vez que no site de acompanhamento de metas constam obras entregues e quando vamos ao local verificar estas obras não são encontradas.

Enquanto as secretarias e as soluções não se encontram, quando o assunto é bicicleta, o Pró Ciclista, que deveria ser o principal setor unificador de informações e local de discussão e apontamentos de melhorias para a bicicleta na cidade de São Paulo, segue anônimo e inerte.

Recomendo estes outros conteúdos:

  1. Ciclovia da Radial Leste, em SP, fica pronta com 3 anos de atraso
  2. Estradas federais de São Paulo tiveram 161 acidentes e sete mortes no feriado
  3. Governo de São Paulo entrega obras de urbanização na zona Leste da Capital
  4. Rodízio de veículos em São Paulo volta a valer a partir desta segunda-feira
  5. CET espalha rush em bairro residencial da zona sul de São Paulo

Seu email nao sera divulgado.
Campos obrigatorios marcados com *