19
julho
2012
21:51

Telefonia celular lidera reclamações em Procons de todo país

Principais queixas foram cobrança indevida na conta, rescisão ou alteração no contrato e serviços não fornecidos. Aumento expressivo nas queixas de consumidores motivou punição da Anatel às empresas TIM, Oi e Claro.

A punição da Anatel às grandes empresas de telefonia foi resultado de um aumento expressivo nas queixas dos consumidores. As operadoras encabeçam também a lista de reclamações nos Procons.

Não foi nem uma, nem duas. Foram seis vezes que seu Vicente Andreu reclamou para a Anatel.

“Várias vezes tenho interrupção, ligação em alguns pontos onde nitidamente a ligação cai e nenhuma providência. Às vezes dificuldade de ligar da linha congestionada”, reclamou o estatístico.

O resultado?

“O atendimento foi rápido, a solução precária”, acrescentou ele.

Da mesma forma que Vicente, muitos consumidores registraram queixas contra as operadoras.

Para suspender a venda de novas linhas, a Anatel levou em consideração três critérios: o número de chamadas interrompidas, aquelas que caem no meio; o número de ligações que nem chegam a completar e o mau atendimento por parte das operadoras. De acordo com a agência reguladora, só nesses três itens, as reclamações aumentaram 30% nos últimos 18 meses

Por causa de problemas nos serviços prestados pelas operadoras, que aumentaram muito de um ano e meio para cá, a Anatel suspendeu a venda de novas linhas a partir de segunda-feira (23) para três operadoras. A TIM não vai poder vender novos chips em 18 estados e no Distrito Federal. A Oi ficará suspensa em cinco e a Claro, em três estados.

“A base cresceu mais e a rede não acompanhou, acaba sendo um tiro no pé da própria operadora, porque esse congestionamento leva a reclamações e leva aos clientes trocarem de operadora. Então, é uma política que a operadora não consegue sustentar por muito tempo”, argumentou o consultor de empresas Eduardo Tude.

No primeiro semestre de 2012, a telefonia celular foi a líder de reclamações nos Procons em todo o país. As principais queixas foram a cobrança indevida na conta, rescisão ou alteração no contrato e serviços não fornecidos.

O advogado Rodrigo Pinto de Campos, especializado em legislação do setor de telecomunicações, diz que, apesar da medida ser rigorosa, ela traz benefícios para o consumidor.

“Sem dúvida, o consumidor ganha. Então o serviço agora, enquanto a medida vigorar, vai ter que ser prestado com mais qualidade para quem já existe. Para aqueles que vão entrar depois desse período, a expectativa é que a rede esteja em funcionamento em melhores condições”, aponta ele.

A proibição da Anatel vale tanto para novas linhas de celulares quanto para novos chips com acesso a internet. Também fica proibida a troca para a operadora suspensa, mas o consumidor que já tiver a linha poderá mudar de plano normalmente.

“O consumidor continua tendo todos os seus direitos garantidos, quaisquer problemas, tem que recorrer a própria operadora, se não houver solução do problema, pode procurar o próprio Procon ou a própria Anatel, que irão tomar as medidas necessárias”, orientou o diretor executivo do Procon de SP, Paulo Arthur Góes.

Rede Globo: José Roberto Burnier –  São Paulo

Recomendo estes outros conteúdos:

  1. Mais duas reclamações transformam o Shoptime em recordista absoluto de reclamações no Blog do Cury
  2. No primeiro semestre, cesta básica embalada lidera incidência de reprovação
  3. Alckmin anuncia expansão do registro de BOs pela PM para todo o Estado
  4. VIVO passa informações pessoais dos clientes ao Kantoo Online e atendente fala que a empresa não é responsável pela cobrança indevida
  5. Mais três reclamações contra o Shoptime. E a empresa continua ignorando

Seu email nao sera divulgado.
Campos obrigatorios marcados com *